A Dublagem Esquecida de Batman

Por Edson Rodrigues

A estreia da série Batman no Brasil aconteceu no segundo semestre de 1966, em São Paulo. Antão TV Paulista, canal 5,  que depois seria comprada pela Rede Globo, anunciava Batman como “o maior sucesso do momento na TV americana”. As chamadas continham cenas do episódio-piloto, com Batman (o ator Adam West) subindo pela bat-corda para salvar Molly (a atriz Jill St. John) dentro da Bat-Caverna.

Foi com grande ansiedade que muitos brasileiros aguardaram a estreia, programada para uma terça-feira, às 20h30. Antes da exibição dos episódios da 1ª Temporada, a TV Paulista exibia um “slide” do morcego, sob arranjo do tema do compositor Neal Hefti que acabou não sendo aproveitado na série.

O primeiro episódio exibido foi “Congelamento Instantâneo”, com o ator George Sanders fazendo o vilão Capitão Gelo (ou Sr. Gelo, como alguns afirmam). Antes de iniciar a segunda parte, no dia seguinte, a TV Paulista anunciou que iria reprisar a primeira parte, atendendo a milhares de pedidos. Coisas assim marcavam muito os espectadores da época.

Um fato curioso, que provavelmente poucos fãs do Homem-Morcego se recordam ou tem conhecimento, é que a dublagem da 1ª Temporada da série, que é utilizada até hoje, trata-se de uma redublagem! Ela foi gravada pelo estúdio paulistano AIC a fim de substituir a primeira versão, produzida pelo estúdio Odil Fono Brasil, também de São Paulo, uma empresa de propriedade de Ademar de Barros, ex-governador do Estado.

Embora o elenco de dubladores da Odil pertencer também a AIC, em geral os resultados não tinham o mesmo nível de qualidade. Mesmo assim, a Odil realizou bons trabalhos como na série animada Os Flintstones.

Na dublagem de estréia de Batman, o locutor tinha uma voz mais rouca, mais anasalada, mas a de Robin era a mesma que ouvimos hoje, de Rodnei Gomes (falecido em 2006). Comentávamos em casa, na ocasião, ser a mesma voz de Little Joe (Michael Landon) em Bonanza.

As Diferenças Odil x AIC

Coube à AIC dublar a 2ª temporada de Batman e redublar a 1ª. A 3ª Temporada foi dublada no final dos anos 60, início dos 70, pelo estúdio carioca TV Cine Som.

Não se sabe ao certo o que levou a distribuidora da série encomendar uma nova dublagem poucos anos após o trabalho da Odil Fono Brasil. O fato é que Batman estreou “pela primeira vez em cores” entre 1973/74 e, junto, a nova dublagem da AIC. Especula-se que a qualidade do primeiro trabalho não seria a ideal, ou que algum problema técnico tenha impossibilitado a inserção da dublagem original no novo lote colorido de episódios.

Chapeleiro Louco

Vão aqui alguns detalhes entre essa dublagem esquecida e a tradicional da AIC, que muitos consideram como original:

• Na dublagem que hoje conhecemos, o primeiro episódio, intitulado “Congelamento Instantâneo”, passou a se chamar “Descongelamento Instantâneo”;

• O vilão interpretado por David Wayne no episódio “O 13º Chapéu” chamou-se Chapeleiro Maluco na original. Na segunda versão, foi batizado de Chapeleiro Louco;

• O vilão do episódio “Falso ou Verdadeiro” na dublagem original chamava-se Mil Faces. Na versão atual, da AIC, é conhecido por Face Falsa;

• O episódio piloto, segundo a versão original, intitula-se “Charada é uma Parada”. Hoje o assistimos como “Charada é uma Charada”.

Curiosidades

Batman marcou a geração dos anos 60, mas, aos poucos, ficava cada vez mais evidente que, apesar de ser exibida em horário nobre, não era um programa feito para adultos.

Com relação aos vilões tradicionais da série, exibidos na antiga TV Paulista com a primeira dublagem, sabe-se que:

• Logo após a estréia, o episódio exibido a seguir foi com o vilão Coringa (César Romero). Curiosamente, “The Joker is Wild” não teve o título traduzido pela Odil Fono Brasil naquela oportunidade;

• O primeiro episódio exibido com o vilão Charada (Frank Gorshin) foi “Uma Charada Por Dia Afugenta um Charadista”;

• O primeiro episódio exibido com a vilã Mulher-Gato (Julie Newmar) foi “O Crime Perfeito”;

• O primeiro episódio exibido com o vilão Pinguim (Burgess Meredith) foi “O Pinguim Regenerado”;

A Era TV Cine Som

Yvonne Craig é Batgirl

A 2ª Temporada de Batman nada apresentou de novo em relação a primeira. Por isso, a audiência teria caído demais nos Estados Unidos. Era comum entre os americanos na época ouvir dizer “Batman, quem viu um, viu todos”.

Por esse motivo, houve na 3ª Temporada a introdução da personagem Batgirl. O papel – originalmente destinado à Mary Ann Mobley – acabou caindo no colo de Yvonne Craig.

Aqui no Brasil, esta temporada teve ainda mais uma diferença: a Fox decidiu trocar de estúdio de dublagem e mandou a série para o Rio de Janeiro, onde foi dublada pelo estúdio TV Cine Som, com sua ambientação sonora característica e com o locutor falando sob o efeito de eco.

O trabalho resultou aquém do desejado. Dentre as falhas dessa fase, podemos citar um episódio que é passado na fictícia Londinium e que possui três partes. Robin tem uma mesma voz na primeira e na terceira partes. Inexplicavelmente, outro dublador fez Robin na segunda parte.

Através dos Tempos

No início dos anos 70, quando chegaram ao Brasil as primeiras cópias coloridas da série Batman, muitas reprises surgiram sob o slogan “Pela primeira vez em cores”. Aliás, com o passar dos anos, inúmeras foram as reprises de Batman em outras emissoras.

Em 1994, todos os 120 episódios da série foram remasterizados, trabalho esse que permitiu recuperar a cor e o brilho das cópias originais. Há poucos anos, a Fox tentou remasterizar os episódios da 1ª Temporada, mas o resultado teria sido ruim, visto que o som resultou baixo e abafado. A se comprovar essa informação, fica evidente que nem sempre vale a pena investir em remasterização de uma dublagem se ela for muito antiga ou estiver com algum problema. Trata-se de um processo caro e nem sempre eficiente (daí ser mais barato redublar).

O autor desta matéria é Edson Rodrigues. Escreva para nós e faça seus comentários.