As Melhores Séries Jamais Produzidas: Padrão ‘Lost’

Há algum tempo atrás, escrevi que o conceito de série Lost (2044/10), que fez muito sucesso, não é novo. Desde os anos 1950 os estúdios tentam produzir séries com sobreviventes de desastres de avião, que caíram em ilhas desertas (geralmente usando o Hawaii como plano de fundo). Normalmente o conceito para uma série dessa natureza sempre encontrou rejeição pelas redes de televisão, até que um dia…

Vamos rebobinar a fita até o ano de 1970, quando a Universal Pictures produziu um piloto para a temporada de 1970/71 chamado “The Lost Flight”, ou pelo seu título em português “A Última Viagem”.

Produzido pelo produtor Frank Price, que três anos antes tentou desenvolver um projeto semelhante, contava com elenco básico de tevê daquela época: Lloyd Bridges (o Mike Nelson da série Aventura Submarina), Kasey Rogers (a segunda Sra. Tate da série A Feiticeira), Linden Chiles, Anne Francis e muitos outros.

O argumento é batido: o vôo 707 da Trans-Pacific Hawaii- Austrália, após uma forte tempestade que comprometeu os motores da aeronave, faz um pouso forçado em uma ilha deserta (adivinhem onde?). Com todos os clichês do gênero (luta pela sobrevivência, intrigas e tentativas de fuga), o piloto termina com os sobreviventes da ilha ouvindo pelo rádio que o avião foi dado como perdido e as buscas foram encerradas. E começa a aventura…

As redes de tevê acharam que o argumento deste episódio- piloto era um amontoado de clichês, que não oferecia nada de excitante aos telespectadores como um seriado televisivo. Assim, o projeto não foi aprovado, mas a Universal conseguiu remontá-lo e exibi-lo como um filme em cinemas de diversos países, visto que nos Estados Unidos ele só conseguiu ser exibido em um cinema de Nova Iorque, em 1971, por uma semana.

Recentemente o título em português foi alterado para “Perdidos na Selva” para exibição em um canal de TV por assinatura no Brasil.

Em breve, mais uma edição da seção “As Melhores Séries Jamais Produzidas”

O autor desta matéria é David Piraino. Escreva para nós e faça seus comentários.
Share

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *