Mídia: Serviço de streaming alerta para conteúdo racista no desenho ‘Tom & Jerry’

Tom e Jerry são, muito provavelmente, o gato e o rato mais conhecidos do grande público. Mas, se há quem os ame, há também quem considere que os episódios de Tom & Jerry têm conteúdos racistas e preconceituosos.

Para evitar mais protestos por parte de seus utilizadores, o site Amazon disponibilizou um aviso legal no início desta semana, alertando que episódios deste desenho animado “podem expor alguns preconceitos étnicos e raciais que antes eram comuns na sociedade americana”. “Tais preconceitos eram errados antes e continuam sendo até hoje”, informou o serviço de streaming da empresa norte-americana, chamado Amazon Prime Instant Video.

tom-jerry-mommyAlém disso, um comunicado afirma que tais piadas são moralmente erradas e em nenhum momento representam a opinião da distribuidora Warner Bros. ou qualquer um de seus associados, incluindo o próprio serviço da Amazon.

A dupla Tom e Jerry estreou em 1940, uma produção dos estúdios da Metro-Goldwyn-Mayer. Criados por William Hanna e Joseph Barbera, e produzidos por Fred Quimby, a versão original destes desenhos animados durou até 1957, com as clássicas perseguições entre Tom e Jerry, os dois habitantes de quatro patas de uma típica casa nos subúrbios americanos.

A maioria das críticas refere-se aos episódios “Casanova Cat” e “Mouse Cleaning”, lançados em 1948 e 1951, respetivamente. No primeiro, Tom aparece vestido à cowboy e tenta conquistar uma gata com uma serenata, enquanto fuma um cigarro — um ato que já foi considerado pelos utilizadores como um incentivo ao tabagismo. No outro episódio, Tom pinta a cara com carvão para enganar Mommy Two Shoes, a personagem negra, cujas pernas e sapatos são as únicas partes que, regra geral, são visíveis na maior parte dos episódios.

A decisão de emitir apenas um aviso não agradou aos utilizadores que exigiam a proibição da reprodução dos episódios no Amazon Prime Instant Video. Mas houve quem já saísse em defesa da Amazon. “Estamos olhando para a história de trás para a frente, julgando valores antigos através de valores contemporâneos”, explicou à BBC o professor de sociologia Frank Furedi, da Universidade de Kent, no Reino Unido.

Censura

Apesar da indicação, porém, as empresas afirmaram não ter a menor intenção de censurar os capítulos ou retirá-los do ar. Fazer isso, como afirmaram para reportagem do Huffington Post, seria uma manobra “revisionista”, que poderia soar como uma tentativa de fazer parecer que tais questões nunca existiram. Pelo contrário, a ideia é apresentar o material exatamente como ele foi produzido originalmente, incluindo a maneira como ele refletia a sociedade da época.

A mesma questão foi assunto em agosto de 2013, quando coletâneas de episódios de Tom & Jerry chegaram às lojas dos Estados Unidos com avisos semelhantes. Na época do relançamento, a Warner comentou que tais capítulos não eram mais exibidos na televisão americana justamente por seu conteúdo racista, que foi considerado impróprio para as audiências atuais.