Tarzan

Ficha-Técnica

tarzan-logoTítulo: Tarzan (Tarzan/1966-68/BRA-MEX/Cor)
Criação: Edgar Rice Burroughs
Produtor Executivo: Sy Weintraub
Elenco: Ron Ely (Tarzan), Manuel Padilla Jr. (Jai), Alan Caillou (Jason Flood), Rockne Tarkington (Tao)
Produtora: Banner Productions/Warner Bros.
Formato: 57 episódios de 47 minutos em 2 temporadas
Dublagem: AIC/SP (1ª versão)/ Herbert Richers/RJ (2ª versão)
Exibição no Brasil: TV Excelsior São Paulo (a partir de julho de 1969), TV Globo (1972), SBT (anos 1980), Warner Channel (anos 1990), Retro Channel (anos 2000)

Introdução

Se alguém pedisse para eu nominar um ator de série de tevê que realmente fez jus ao seu salário, recusou-se a ser substituído por dublês nas cenas mais perigosas e teve coragem de trabalhar praticamente semi-nu, sem pestanejar eu responderia: Ron Ely, na série Tarzan!

tarzan-materia1

Ron Ely

Essa foi a primeira produção televisiva do personagem e estreou nos EUA em setembro de 1966. Lamentavelmente, saiu do ar dois anos depois. O atlético ator de 1,90 m de altura, na verdade, um texano batizado Ronald Pierce Ely, nascido aos 21 de junho de 1938, foi o grande responsável pelo estrondoso sucesso do personagem na telinha. Ron Ely, ainda sem sonhar que um dia imortalizaria o personagem na televisão, sempre foi um homem perseverante e disciplinado na busca da concretização de seus objetivos.

Matriculou-se na Universidade do Texas, mas logo se mudou para a Califórnia. Após assinar contrato com a 20th Century Fox no final dos anos 1950, Ely interpretou pequenos papéis coadjuvantes e inexpressivos em diversas séries de tevê, como How to Marry a Millionaire (1957/59, com Merry Anders, Barbara Eden e Lori Nelson), e em filmes como “South Pacific” e “The Remarkable Mr. Pennypacker”.

Em 1960, Ely foi escalado no elenco de uma série de tevê da CBS, chamada The Aquanauts (1960/61), que não se confunde com a série Sea Hunt (“Caçada Submarina”), também estrelada por Ely em 1987. Sea Hunt foi uma versão moderna da série de mesmo nome, anos antes estrelada por Lloyd Bridges entre 1957 e 1961.

The Aquanauts foi cancelada após uma única temporada, mas sem desanimar, o ator continuou perseguindo o merecido reconhecimento profissional em vários outros filmes. Sua maior oportunidade ainda estaria por vir no ano de 1966, quando foi escalado no papel principal de Tarzan, na série de tevê de mesmo nome.

Ron Ely já havia tentado o papel de Tarzan na telona, logo após Jock Mahoney (“The Range Rider” e “Yancy Derringer”) ter abandonado o papel em 1963. Porém, acabou perdendo a oportunidade para o jogador de futebol americano e ator Mike Henry, que já havia feito três filmes como Tarzan e foi inicialmente cogitado para a série de tevê. Mas Henry recusou o papel devido algumas desagradáveis experiências ocorridas enquanto filmava seu primeiro filme como Tarzan. Com a desistência de Mike Henry, então, a porta do sucesso se abriu e Ron Ely foi escalado para o tão cobiçado papel principal. “A tevê necessita de sex symbols, e Ron tem todos os atributos para isso”, disse Sy Weintraub.

tarzan-materia2

Manuel Padilla Jr. no papel de Jai

Ron Ely foi o décimo quarto ator a interpretar Tarzan, desde a primeira aparição do personagem a meio século antes, no filme mudo “Tarzan dos Macacos” (Tarzan of the Apes, 1918).

Após inúmeras frustrações na tentativa de se criar a série de tevê Tarzan, o produtor Sy Weintraub finalmente pôde levar o personagem para a telinha em 1966. Tarzan, como já mencionamos, foi ao ar pela NBC nos EUA, entretendo os lares norte-americanos a partir da primeira quinzena de setembro de 1966, prolongando-se até abril de 1968.

Foram produzidos 57 selvagens episódios de 47 minutos cada. Na série para a tevê não havia a personagem Jane, mas sim, a chimpanzé Chita, que foi seu elemento humorístico.

A título de curiosidade, a outra série na tevê americana que era exibida pela NBC após o término de Tarzan era Jornada nas Estrelas.

Acidentes e Perseverança

Como dissemos, Ely recusou-se em ser substituído por dublês nas cenas mais perigosas, como combates corporais com animais selvagens, locomoção, travessias de pântanos utilizando-se apenas de cipós, pulos e mergulhos de altíssimas cachoeiras. Mas estas cenas de ação e aventura de Ron Ely exigiam demais de seu físico avantajado. As situações de perigo eram gravadas como se o ator tivesse com o corpo tomado, possesso por alguma força inimaginável e jamais vista. Muitas vezes ele atuava sentindo terríveis dores, quase que insuportáveis, advindas das consequências dos momentos de tensão e de ação exigidos pelos diretores. Mas nunca deixou de asseverar: “Tarzan é o papel que venho esperando a vida toda”. O diretor James Komack, numa entrevista dada para a revista TV Guide, disse certa vez ter ouvido de Ron Ely a seguinte frase: “Essa é a minha grande chance. Eu nunca tive um papel de destaque. Eu nunca estive numa série de qualidade. É uma boa sensação, tão boa que, de certo modo, custo muito a acreditar que me machucarei seriamente”.

Sem dublês: Ron Ely teve apólice um seguro de 3 milhões de dólares

A palavra “seriamente” era utilizada de forma muito subjetiva por Ron Ely. Na verdade, frequentes suturas múltiplas, costumeiros pontos no corpo todo, ossos quebrados constantemente e músculos repetidas vezes distendidos era o que mais se via no ator. Não só para mim, mas para qualquer pessoa em sã consciência, tais consequências podem traduzir realmente graves ferimentos e terríveis machucados.

Os danos e as lesões provocadas nas intensas cenas de ação na série foram os motivos que fizeram com que o ator Mike Henry desistisse do papel, a ter que encarar os desafios verdadeiramente experimentados por Ron Ely. No caso de Henry, num dos filmes encarnando ao personagem Tarzan, um chimpanzé, que deveria dar um beijo inocente e sem nenhuma consequência no ator cinematográfico, arrancou-lhe um pedaço do queixo, proporcionando-lhe 18 pontos no local. O fato motivou seu pedido de demissão e o manejo de uma ação de danos contra os produtores cinematográficos na cifra de 875 mil dólares.

Mas esses “detalhes” jamais abalaram Ron Ely. Com ele, um puma, que é uma onça amarelo-avermelhada, conhecida no Brasil pelo nome de suçuarana, infligiu-lhe uma terrível cicatriz no calcanhar. Ademais, um leopardo rasgou-lhe a perna esquerda e um leão mordeu-lhe a fronte (pegou cinco pontos no local), arrastando o ator pelos pés por vários metros. Ely ganhou diversos ferimentos, mas admitiu: “É uma questão de honra. Eu realmente acredito que posso dominar esses animais”.

Ron Ely: “Quero fazer com que o telespectador acredite que eu sou Tarzan”

E não foi só isso. Ron Ely, certa vez, lesionou o nervo da coluna cervical, pinçando-o em virtude da protusão do disco causada pela força compressiva no pescoço, enquanto carregava um ator e um bote afundado ao mesmo tempo. Também machucou o rosto e queimou os braços e as pernas enquanto atravessava um corredor estreitíssimo repleto de chamas flamejantes. Outra vez, Ron Ely deixou escapar o cipó numa de suas travessias por entre as árvores durante uma sequência, caindo de uma altura de mais ou menos 10 metros. Sua cabeça e ombro foram os amortecedores do impacto do corpo, que caiu inconsciente. “Na verdade, eu fiquei constrangido”, disse numa entrevista. “Eu quis levantar e mostrar à multidão de espectadores que se encontrava no local que tudo estava bem. Eu ainda guardo a lembrança da queda e da aproximação da minha cabeça até o solo. É uma péssima lembrança”. Obviamente que a necessária cirurgia para reposicionar o ombro deslocado não foi tão agradável, mas os produtores mostraram seu pragmatismo salvando a cena e rescrevendo-a para incluir Tarzan, do alto, levando um tiro certeiro de um ladrão.

Por conta de prejuízos e danos como esses, Ron Ely teve garantida uma apólice de seguro no valor de 3 milhões de dólares, pagos pela produção. Mas outros envolvidos na série de tevê também sofreram algumas situações inusitadas e foram vítimas das circunstâncias. Um elefante treinado usado na série, certa vez enfureceu-se na locação e antes de ser baleado, atacou uma mulher, uma criança e esmagou o treinador causando-lhe a morte. E um garoto de 10 anos de idade levou uma mordida de Vickie, o verdadeiro nome do chimpanzé que fazia o papel da macaca Chita, devido a uma crise de ciúmes a que foi acometida ao observar Ron Ely contracenando com o garoto.

O diretor Komack lembra de como, certa vez, Ron Ely apareceu na locação da série com um ligamento lesionado. Sua perna estava toda escura por conta do rompimento dos vasos sanguíneos no local. O ator insistiu que podia trabalhar e pediu ao maquilador que cobrisse a descoloração da perna com maquilagem. Mesmo correndo o risco da coagulação vir a matá-lo se fosse para seus pulmões, Ron Ely, ainda assim, pediu ao médico que lhe desse uma injeção contendo um agente anticoagulante. Tudo isso quis dizer, é claro, que se ele se cortasse durante a filmagem, poderia facilmente sangrar até a morte. “Por que ele fez isso?”, Komack escreveu. “Porque Tarzan assim o faria. E Ron Ely é Tarzan!”.

E essa não foi uma observação isolada do diretor. Uma outra observação no mesmo sentido também veio do próprio Ron Ely. “Se é algo que eu sinto que posso fazer, eu devo fazer sozinho”, disse Ely. “Não é bom vender algo que não seja verdade. Eu quero fazer com que o telespectador acredite que eu sou Tarzan”. E Ron Ely realmente convenceu, não obstante as escoriações, os hematomas, os tombos, as fraturas, os cortes, os machucados e os inúmeros riscos à sua integridade física e à própria vida. Um ator extremamente profissional, preocupado com o respeito e a opinião de seus fãs e dos envolvidos nas filmagens.

A Série

tarzan-materia3

Tarzan e a macaca Chita

Quando criança, Tarzan era chamado de John Clayton III, ou Lorde Greystoke. Certa vez, perdeu-se de seus pais numa floresta, onde foi encontrado e criado pelos grandes macacos. O menino recebeu o nome de Tarzan, que significa “Pele Branca”. Mais tarde, voltou para a civilização, onde foi educado, mas acabou voltando para a selva que ele conhecia tão bem, onde lutaria pela lei do direito. A onça passou a conhecer alguém mais ágil que ela e o leão, a conhecer alguém mais corajoso.

O grito de Tarzan é conhecido por todas as criaturas da selva. Ao ouvi-lo, o antílope sabe que está a salvo, o leão pára, o crocodilo busca a segurança da água e o elefante vem até o seu amigo.

Na série também estrelam Manuel Padilla, Jr., como Jai, o garoto auxiliar de Tarzan, que também era um órfão da selva; a macaca Chita (Vickie); Alan Caillou como Jason Flood, tutor de Jai; e Rockne Tarkington como Rao, um veterinário. A série foi produzida pela companhia Banner Productions e teve locações filmadas no Brasil e no México.

Gravações

As gravações das primeiras aventuras foram caóticas devido a chegada da temporada de chuvas na América do Sul. Ainda assim, foram possíveis tomadas importantes como de Tarzan nas Cataratas do Iguaçu e na tripla fronteira da Argentina, Paraguai e Brasil. O produtor da série – Weintraub – disse na ocasião: “Essas cataratas convertem às do Niágara numa gota de água. Não há nada que se compare. Os espectadores irão apreciar”.

Entretanto, as difíceis condições de gravação, a presença de disenteria, mosquitos e pragas, desmoralizavam qualquer um, além de provocar mais gastos do que o previsto. Depois de alguns meses, apenas cinco episódios haviam sido gravados e o orçamento de 450 mil dólares já estava quase acabando.

Nas últimas cenas filmadas no Brasil (com Ely correndo por um set que devia pegar fogo), foram satisfatórias para todos, menos para o próprio Ely, que teve queimaduras nos braços e pernas. Mas as aguentou heroicamente e não se queixou de nada, já que ele mesmo queria fazer suas próprias cenas de risco, sem dublês. Logo depois, Weintraub mudou as gravações para o México.

Série Animada

tarzan01Tarzan, o Rei da Selva é a única série de tevê estrelada por Tarzan (mesmo sendo animada) que seguiu praticamente todos os preceitos criados por Edgar Rice Burroughs, o criador do personagem. A produção foi encomendada aos estúdios Filmation pela rede de tevê americana CBS, que a apresentou nas manhãs de sábados. Ao todo, foram produzidos 36 episódios, distribuídos em quatro temporadas, exibidas entre 1976/79.  No Brasil, a última vez  que o desenho foi exibido na tevê foi em 2007, no SBT. Em dezembro de 2009, a Warner Home Video lançou por aqui a coletânea em DVD “Matiné de Desenhos dos Anos 70 – Vol. 1″, que trouxe um episódio de Tarzan, o Rei da Selva, chamado “Tarzan e o Colosso de Zome”, com a dublagem original da Herbert Richers.

Em 2014, a Warner Bros. dos Estados Unidos lançou 1ª Temporada da animação em DVD, com dois discos e 16 episódios. Em 2017, chegou a vez do Brasil receber este lançamento. A novidade chegou pelo selo Vinyx Multimídia e contou com a dublagem original brasileira, gravada pela Herbert Richers.

Curiosidades

• Na tevê americana, pela Rede NBC, Tarzan era exibido nas noites de sexta-feira, às 19h, e competia diretamente com a série de faroeste James West da CBS e com Off to See the Wizard na ABC. Não recordo quando assisti a Tarzan pela primeira vez, nem ao menos o canal da tevê brasileira que inicialmente levou a série ao ar, mas recordo inúmeros episódios e a presença de alguns atores brasileiros, tais como José Lewgoy e Milton Gonçalves, dentre outros que atuavam como figurantes. Numa atitude assaz ignóbil dos produtores, pelo menos os que tinham uma participação mais marcante não tinham seus nomes creditados nos episódios.

• Uma estória muito marcante foi vista foi o episódio de duas partes “Silêncio Mortal” (The Deadly Silence), sendo inesquecível o final da primeira parte, quando Tarzan, submerso num rio, é impiedosamente bombardeado por inimigos e perde temporariamente a audição.

Ron Ely em 2012

Ron Ely em 2012

• Quando criança, eu costumava imitar a marcha de Tarzan, sibilando a inesquecível composição musical que tinha na sua condução o maestro Walter Greene. A orquestra era a de Emil Cadkin e a marcha de Tarzan atribuída ao mago Sydney Lee, característica marcante quando das cenas de ação.

• Muitos atores de renome e celebridades participaram dos episódios de Tarzan. Diana Ross fez uma irmã da igreja que retorna a sua aldeia para construir um hospital e catequizar os seus.

• Ron Ely, hoje em dia com 75 anos e aposentado da carreira de ator, trabalha como escritor de romances policiais, obtendo grande sucesso.

• Astros das séries Tarzan, Capitão Marvel, Cheyenne e O Homem do Fundo do Mar estiveram presentes nos dias 21 e 22 de setembro de 2012 em evento organizado pela Warner Archive Collection, em Los Angeles, para divulgar o lançamento das séries em DVD nos EUA. Entre os astros estava Ron Ely. A 1ª Temporada de Tarzan em DVD foi lançada em maio de 2012, nos EUA, e a 2ª em agosto de 2013. Clique aqui para ler a matéria.

• A lenda de Tarzan se diferencia das lendas da antiguidade, pois está relacionada ao imperialismo inglês na África: um lorde inglês branco se perde na selva e, crescido, se torna “rei da selva” africana; Tarzan tem mais relações com os macacos do que com os povos nativos da África; e finalmente, Tarzan se casa com Jane, uma norte-americana de modos aristocráticos, para assim continuar a linhagem branca no domínio do continente africano.

TV e DVD

tarzan-dvd

DVD americano

Após as exibições de Tarzan pelo SBT, nos anos 1980, a série poderia ser revista pelo brasileiros apenas na década seguinte, pelo canal da Warner (TV paga). A dublagem era a mesma que os brasileiros se acostumaram a ouvir no passado. No final de 2005, foi a vez de outro canal resgatar Tarzan na tevê. O Retro Channel, disponível apenas para os então assinantes da operadora DirecTV, exibiu a série com som original e legendas em português. Alguns meses depois, a série saiu do ar e até hoje não voltou à televisão.

Já no DVD, a história da série Tarzan é melhor. Entre 2012/13, a Warner Bros. lançou nos EUA as duas temporadas da série, sendo que a primeira, foi lançada em dois volumes e a segunda, em uma única caixa.

No Brasil, não há informações de que a filial da Warner Bros. tenha interesse em lançar este produto.

Bibliografia Pesquisada

• Artigo original em inglês da revista americana TV Guide sobre Tarzan e o ator Ron Ely;
• Livro: Total Television – A Comprehensive Guide to Programming from 1948 to the Present, Alex McNeil – Penguin Books, 1991;
www.briansdriveintheater.com
www.mediaenterprises.com
www.epguides.com
www.wikipedia.com

// Clique aqui para ver a Lista de Episódios de Tarzan

O autor desta matéria é Augusto César Ponte, publicada originalmente em 21/08/2006. Escreva para nós e faça seus comentários.

Multimídia

Clique e assista ao episódio #23 – “A Máscara de Rona” com dublagem brasileira.

Galeria

Clique nas imagens para ampliá-las.

Comentários

  1. Sensacional, matéria. Essa série de TV (Tarzan) com o ator Ron Ely é a minha preferida dos anos 70 e de toda minha infância. Eu e vários amigos estamos aguardando o lançamento do DVD da segunda temprada completa pela Video Séries que já lançou a primiera temporada completa e dublada e está fazendo um execelente trablho com outra séries de tv. parabéns a Video Séries e a matéria.

  2. Francisco de Assis Ramos de Brito disse:

    NA MINHA OPINIÃOOMELHOR TARZAN DE TODOS OS TEMPOS ATÉ AGORA 2013.

  3. Carlos Garcia disse:

    Comprei o box Tarzan 1ª temporada volume 1, que está a venda em algumas lojas virtuais, imagem ótima.

  4. O grande clássico está de volta ao cinema… Se não me engano o novo filme do Tarzan estréia agora em 2014. Parabéns pelo post.