A Mulher Maravilha

Assista a abertura da série A Mulher Maravilha.

Nas décadas de 70 e 80, a televisão americana recorreu aos velhos quadrinhos para criar séries sobre super-heróis, como Batman e Super-homem. Graças a esse resgate, chegou às telas uma das mais originais heroínas: a Mulher Maravilha.

Os quadrinhos da DC Comics apareceram na década de 1940 e narravam as aventuras de uma mulher nascida numa ilha perdida, povoada de mulheres amazonas que supostamente fugiram dos gregos na Antiguidade.

Nessa ilha paradisíaca, elas descobrem Feminum, uma substância mágica que as dota de poderes sobre-humanos. Durante a Segunda Guerra Mundial, um militar norte-americano, o Major Steve Trevor, chega com seu barco na ilha, se apaixona pela Mulher Maravilha e a leva para os Estados Unidos, sem saber de seus fantásticos poderes.

A primeira aparição da personagem na televisão foi em forma de especial, onde a Mulher Maravilha era interpretada por Cathy Lee Crosby. Mas quando foi transformada em série, a heroína tomaria seu rosto mais famoso e definitivo: o da bela Lynda Carter.

Como secretária do Major Trevor, a Mulher Maravilha oculta sua personalidade sob o nome de Diana Prince e só se transforma para lutar contra inimigos nazistas ou do espaço sideral. Porém, na 2ª Temporada da série (que se chamou As Novas Aventuras da Mulher Maravilha) as histórias se passam no final dos anos 1970, onde os novos inimigos são ditados pelo contexto da Guerra Fria.

Lynda Carter foi Miss EUA em 1973. Esta série marcou a estreia de Debra Winger como a Garota Maravilha, irmã menor da protagonista. A Mulher Maravilha teve mais de quatro anos de sucesso na tela americana e a originalidade, beleza e sensualidade da heroína foram as bases do seu sucesso internacional.