Namor, o Príncipe Submarino

Abaixo, assista a um episódio de Namor, o Príncipe Submarino, com a dublagem original do estúdio Rio Som.

Tema de Abertura

Ele é rei dos mares
Meio peixe, meio homem
Também domina os ares
Nobre submarino…
Real Namor, dos mares é Senhor

Os Super-Heróis Marvel é uma série de desenhos animados produzida em 1966, pelo estúdio Grantray-Lawrence Animation, do Canadá, baseada em quadrinhos e personagens da Marvel Comics.

Os desenhos não têm muitos movimentos, devido ao processo limitado de animação chamado xerografia, que dá movimento a imagens estáticas, no caso, de revistas em quadrinhos.

Mas, esta produção foi a grande ferramenta que lançou ao mundo as histórias do criador Stan Lee e os desenhos clássicos de Jack Kirby, Steve Ditko e Don Heck.

videos-namorA série Os Super-Heróis Marvel contou 65 episódios de 30 minutos cada. Estrelavam cinco super-heróis, com 13 histórias cada: Capitão América, Namor, O Homem de Ferro, O Poderoso Thor e O Incrível Hulk, planejados para serem exibidos um em cada dia da semana. As aventuras de cada um dos heróis tinha três segmentos, que duravam cerca de 7 minutos (foram ao todo 195 segmentos).

O príncipe Namor é filho da princesa Fen, da Atlântida, e de Leonard McKenzie, um capitão da Marinha americana. Pouco depois da Primeira Guerra Mundial, o navio de McKenzie, em uma missão de quebrar icebergs nas proximidades do continente Antártico, detonou explosivos que causaram severos danos à civilização atlante sob o mar. Thakor o então imperador da cidade submersa, enviou sua filha, a princesa Fen, à superfície com a missão de investigar a causa dos danos. Não vendo necessidade de uma escolta, Fen partiu sozinha, levando consigo uma poção que a permitia respirar na superfície durante cinco horas. Ela não tardou em descobrir o navio e subiu a bordo, surpreendendo o capitão e sua tripulação. Até então, o ser humano não sabia da existência do povo atlante.

Permanecendo na embarcação, a princesa logo aprendeu a língua dos marujos e apaixonou-se pro McKenzie. Os dois se casaram a bordo do navio. Após várias semanas, vendo que sua filha não voltava, Thakor deduziu que ela havia sido capturada pelo povo da superfície e enviou um grupo de guerreiros para tentar encontrá-la. O grupo acabou lutando contra a tripulação do navio e o capitão foi aparentemente morto. Fen retornou à Atlântida e, meses depois, deu a luz a um filho híbrido de nome Namor, que, em língua atlante, significa “filho vingador”.

Namor cresceu com um verdadeiro ódio pela raça humana, desde que invadiram os mares com suas tecnologias de destruição. Porém, quando a Segunda Guerra Mundial se iniciou, o príncipe simpatizou com os americanos e Forças Aliadas, reconhecendo a ameaça que Hitler representava, tanto para a superfície como para as regiões submarinas. Assim sendo, Namor se uniu ao grupo de heróis conhecido como Invasores. Foi nessa época em que Namor ficou famoso entre os humanos e ficou conhecido como o Príncipe Submarino.

Sua participação na guerra, tanto na Atlântico como no Pacífico, foi decisiva para derrotar os poderes do Eixo. Durante um curto período após o conflito, ele lutou contra o crime na superfície. Apesar de ter sofrido poucos danos com a conseqüência da guerra, a civilização submarina foi violentamente afetada por terremotos. O imperador Thakor enviou Namor à superfície para investigar os tremores e encontrou um humano chamado Paul Destino dentro de uma caverna do continente antártico.

Vilão por natureza, ele havia encontrado o Elmo do Poder, que o capacitava a canalizar grandes quantidades de energia psíquica. Desejando testar sua força acumulada durante um período de animação suspensa de 40 anos, ele pretendia destruir a Atlântida e banir o Príncipe Submarino. Tendo sucesso em seu primeiro intento, Paul arrasou a cidade, matou boa parte de sua população e transformou o restante dos súditos de Namor em nômades. Destino usou o Elmo do Poder para causar amnésia no Príncipe Submarino, enviando-o logo a seguir para vagar no mundo da superfície como mendigo.

Anos mais tarde, descoberto por Johnny Storm, o Tocha Humana do Quarteto Fantástico, o jovem herói restaurou-lhe a memória. Quando soube da destruição da Atlântida, o príncipe pensou que os responsáveis por isso haviam sido os homens da superfície com seus testes nucleares. Cheio de ódio, ele atacou Nova lorque numa tentativa de vingar seu povo. Namor pensou a ser temido como inimigo da sociedade e combatido por outros campeões superpoderosos, principalmente o Quarteto Fantástico.

Namor não usa armas. Seus poderes são força, resistência e vigor sobre-humanos, capacidade de respirar debaixo d’água, resistência às pressões do fundo do oceano (como qualquer Atlante) e capacidade de voar.

Pertencente à nobreza real da Atlântida, Lady Dorma, uma linda atlante de pele azul, é a amada do príncipe submarino. Prometida a ele desde a sua infância, sua maior virtude é amparar Namor em todas as situações difíceis e aplacar a terrível ira que frequentemente domina o monarca dos sete mares.